Me chamo Marina, tenho 33 anos, moro e sou natural de São Paulo.

Criei o Atelier Terrarosa em meados de 2016. Ele não é um lugar físico, mas um lugar sutil de experimentação. O fio condutor por aqui é a liberdade de criar e fazer com as mãos, e isso passa por diversos materiais e técnicas – do papel ao tecido, da ilustração à costura, do tricô ao tingimento natural. Me considero uma criadora-artesã; e também, contadora de histórias que ganham vida através daquilo que crio. O Atelier é o cenário, o lugar encantado, onde elas acontecem.

Tudo o que você vê aqui passa pelas minhas mãos – não tenho assistentes, apenas um marido e duas gatas (o marido me ajuda; já as gatas, nem tanto). Corto, imprimo, ilustro, costuro, respondo emails, vou aos correios...

Tento fazer com que todas as criações do Atelier sejam gentis ao máximo com a natureza da qual fazemos parte. Procuro sempre escolher materiais naturais, orgânicos, reciclados, que sumiriam na terra em alguns anos se você os esquecesse no mato. Mas, neste quesito, sei também que  a perfeição é impossível, então faço o que está ao meu alcance.

 

O Atelier não é um espaço físico, mas isso não quer dizer que não seja possível visitá-lo; é só fazer assim:

Feche os olhos e imagine que a luz dourada do sol de um final de tarde esquenta levemente seu rosto; ao seu redor, está um campo sem fim de flores silvestres, de todas as cores, que sobem acima de seus joelhos e farfalham com a brisa fresca que as acariciam. O zunir que você ouve à distância vem da abelha que está ali na margarida à sua direita. E se você olhar pra baixo, sob seus pés e por entre as flores, lá está ela: terra rosa, cintilando no chão.

atelier terrarosa © 2020